Saiba de tudo o que rolou em Os Subversos – Liberte-se!

Aconteceu no dia 22 de setembro a 2ª edição do evento Os SubVersos, produzido pelo  Grupo Sub V de Comunicação com apoio institucional do Centro Cultural Justiça Federal, no Rio de Janeiro.

Os produtores e também escritores Felipe Dias e Kiko Riaze reuniram artistas e intelectuais para debater temas ligados à liberdade de expressão, contracultura e diversidade através das artes e da educação.

O evento teve como tema “Liberte-se! – A arte como instrumento de libertação” e contou com os seguintes participantes:

– Lidoka – ex-integrante do grupo Frenéticas, atriz e autora do livro Lidoka, uma vida Frenética

– Filipe Espíndola – artista plástico, performer e body artist;

– Rafucko – videomaker

– Tiago Elídio – escritor e tradutor do livro Eu, Pierre Seel, Deportado Homossexual

– Eliseu Neto – psicólogo e educador

O clima informal e descontraído que marcou a primeira edição foi mantido com a apresentação da bem humorada artista trans Lorna Washington e, claro, do público que participou ativamente dos debates e preencheu todos os lugares disponíveis da Sala de Leitura do Centro Cultural.

O público se divertiu com a exibição do vídeo “O Golpe” do videomaker Rafucko, que fez muito sucesso na web ironizando o discurso fundamentalista religioso acerca de uma possível “ditadura gay” no Brasil. Rafucko falou ainda da censura que um dos seus vídeos sofreu no Youtube por exibir um beijo gay, acendendo a discussão acerca do conservadorismo nos dias atuais.

Eliseu Neto ressaltou a importância da capacitação dos professores na inclusão dos LGBT’s nas escolas e no combate ao bullying , despertando interesse dos profissionais de Educação presentes na plateia.

O escritor Tiago Elídio falou sobre a perseguição nazista aos homossexuais antes e depois do Holocausto e como isso contribuiu para a dificuldade de aceitação dos gays na sociedade.

O artista plástico Filipe Espíndola chegou para confundir. Vestido de sobretudo e salto alto, com tatuagens espalhadas pelo corpo e alargadores na orelha, Espíndola definiu-se como “sem definição” ao falar de sua sexualidade e discursar sobre a cultura queer. As fotos de sua performance “Pérolas aos Porcos” foram exibidas na televisão da biblioteca e causaram impacto no público.

A cantora Lidoka, ex integrante do grupo Frenéticas, relembrou o movimento Dzi Croquettes e foi muito aplaudida após exibição do clipe da música Dancing Days. Ela também falou sobre como a arte influencia nas mudanças de comportamento e das dificuldades de se expressar no período da Ditadura Militar.

Durante o evento, foi feita uma homenagem surpresa à Lorna Washington com a exibição do trailer do documentário “Lorna Washington – sobrevivendo a supostas perdas”, do diretor Rian Córdova, que em breve estará nos cinemas. O diretor estava presente e falou sobre o filme.

Felipe Dias, um dos produtores do evento, lançou O Livro de Hélio, sua primeira obra literária e primeiro título do selo Sub V.

No final do evento, a biblioteca do Centro Cultural Justiça Federal foi aberta e houve sessão de autógrafos com os escritores presentes no debate.

Parte da venda dos livros foi revertida para o Grupo Pela Vidda, de apoio a soropositivos.

Acesse o álbum de fotos https://eventosubversos.wordpress.com/2012/09/24/album-de-fotos-os-subversos-2a-edicao-liberte-se/

Lorna Washington apresentou o evento

Anúncios